Drone Facebbok

Uau! Facebook faz 1º voo com drone que deve levar internet a todo o mundo

Já há algum tempo, um time dedicado do Facebook vem trabalhando com bastante afinco para superar as barreiras – físicas e burocráticas – da distribuição da internet pelo mundo. O modo escolhido por Zuckerberg e sua equipe para tentar levar a web a um público que, hoje, está offline, foi apostar em equipamentos voadores alimentados por energia solar. Assim, depois de meses de testes com modelos menores, a empresa finalmente realizou o primeiro voo de seu drone Aquila – que superou boa parte das expectativas iniciais.

Drone Facebbok
Drone Facebbok

A ideia é que o VANT (Veículo Aéreo Não Tripulado) ajude na tarefa de conectar 1,6 bilhão de pessoas por todo o globo e que faça esse trabalho de forma autônoma e com baixo custo energético. Claro que, para cumprir esses requisitos, o brinquedinho tem um tamanho de respeito e lembra muito pouco os drones tradicionais. Com uma estrutura feita em fibra de carbono, o veículo é leve e resistente, mas, ao mesmo tempo, apresenta uma envergadura superior à de um Boeing 737 – passando facilmente dos 40 metros.

Com esse conjunto, o objetivo da empresa é que cada Aquila cubra uma área de quase 100 quilômetros de extensão em solo enquanto eles realizam voos que podem durar até 90 dias – tudo isso gastando uma quantidade bem reduzida de energia. Como não poderia deixar de ser, o Facebook registrou todos os momentos do experimento em vídeo e compartilhou a compilação de “antes, durante e depois” na própria rede social, dando um gostinho do que o projeto significa para a companhia.

Planando para o futuro

Embora o veículo “só” tenha voado a 40 km/h e a uma altitude de 2 mil pés – bem abaixo dos 128 km/h e 60 mil a 90 mil pés previstos para a fase final da empreitada –, a duração da viagem surpreendeu todos os envolvidos. O plano era que o trajeto aéreo se alongasse por 30 minutos antes que o equipamento voltasse à terra firme, mas o desempenho do equipamento foi tão bom que resolveram mantê-lo nos céus por 1h30.
Esse tempo adicional perambulando pela região de testes, no estado do Arizona, permitiu ao drone coletar ainda mais dados sobre a iniciativa e até a respeito do próprio funcionamento do modelo. Isso significa que a equipe pôde avaliar melhor – entre outros itens – elementos como piloto automático, motores, baterias, rádio, mostradores, aerodinâmica, viabilidade estrutural e performance do time de solo.

Fonte: TecMundo

CompartilheShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Email this to someone

Sobre Junior Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *